Liderança e estratégia de UX feat Google Oxygen— Apresentação + Bônus Data-Driven

Jefferson Alex Silva
3 min readApr 17, 2022

Influenciar pessoas, identificar oportunidade de melhoria e evolução profissional, além de colaborar com sua experiência são algumas das atividades e comportamentos esperados da liderança.

Este artigo é um ensaio sobre a experiência enquanto liderança e liderado, fazendo uma análise com os comportamentos de gestão do Projeto Oxygen.

Por volta de 2008 surgiu o Projeto Oxygen que envolveu um time interno do Google em uma pesquisa sobre os comportamentos que fazem os bons gestores na empresa. Inicialmente foram identificados 8 comportamentos que evoluiram 10 anos depois, atualizando alguns pontos e acrescentando mais 2.

Estes são os 10 comportamentos

  1. Ser um bom tutor;
  2. Empoderar sem microgerenciamento;
  3. Criar um ambiente inclusivo, mostrando preocupação com o bem estar;
  4. Produtivo e orientado a resultados;
  5. Ser comunicativo, ouvindo e compartilhando informações;
  6. Apoiar a carreira e discutir performance;
  7. Ter visão/estratégia clara para o time;
  8. Ter habilidades técnicas chaves para ajuda o time;
  9. Colaborar com a empresa, entre equipes;
  10. Capacidade de tomar decisões difíceis.

Obs.: a tradução dos pontos acima foram sob minha livre interpretação e adaptação.

quadro com os 10 comportamentos de gestores, de acordo com o Google
10 comportamentos de gestores, de acordo com o Google. Fonte: ReWork/Google

Sob a ótica desses pontos, nos próximos posts associados eu vou explicar cada um deles e descrever situações que exemplifiquem a execução ou a repercussão pela falta da aplicação.

Bônus

Pensando em aplicação e obtenção de métricas, trago uma forma de aplicar uma avaliação sobre os comportamentos e construir uma visualização para identificar pontos de melhorias.

Criando um formulário sobre os pontos

Primeiro, uma decisão de ferramenta e como organizar as informações. Como se trata de uma avaliação para ser feita pelos liderados, é necessário que seja simples e explicativo para não se tornar “mais uma coisa/trabalho a ser feito”.

Para esse exemplo vou utilizar a mesma dupla que mostrei nesse post sobre PDI. O Google Forms e o Data Studio são ferramentas simples de se utilizar — não que o Power BI ou Tableau sejam super difíceis, mas as ferramentas do Google já estão online e integradas.

Formulário do Google para avaliação da liderança
Recorte do Formulário para avaliação

O formulário é baseado em uma escala de 1 à 7, onde a pessoa liderada indica a sua intensidade de concordância sobre o tema. Ex.: no tema “Liberdade sem microgerência”, caso o liderado selecione próximo ou igual a 1 é um indício de que pode indicar que seus liderados estão se sentindo um pouco pressionados ;)

Painel de avaliação

Para a liderança, é importante visualizar facilmente o resultado dessa avaliação e uma forma de consolidar é tirando uma média dos valores apontados pelos liderados. É possível pensar em moda ou mediana, dependendo da quantidade de avaliações realizadas por período e quantidade de liderados avaliando.

A sugestão é uma plotagem em forma de radar, pois estamos falando sobre diversos pontos e variáveis que podem ser vistas isoladamente, mas que em conjunto também formam uma interpretação complementar e holística.

Gráfico de radar com a média dos pontos avaliados

Note que na plotagem do gráfico foi necessário reduzir o nome dos critérios avaliados, facilitando a interpretação e também a visualização. Não é uma tarefa fácil dar “labels” aos critérios, mas é necessário.

O período de avaliação pode variar, mas a sugestão é testar um ciclo curto de 15 dias e depois verificar se poderia ser mensal ou trimestral. Isso porque a primeiro momento é necessário traçar uma linha base, conseguindo daí para um plano de identificação de melhorias.

Um bom momento seria após ou antes de uma rodada de feedback, sendo um período onde as memórias do que precisa ser dito estariam frescas. Também é interessante não remoer coisas mais antigas do que o período avaliado, isso porque o que se espera é que a cada ciclo as coisas apontadas nos feedbacks já devam ter uma solução ou um plano.

--

--